Pesquisa divulgada na reunião da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, em Chicago, com imunoterapia conta com uma taxa de resposta “sem qualquer tipo de antecedentes” em doentes que sofrem de mieloma múltiplo, um tipo de câncer de sangue que ainda não tem cura. Essa doença pode prejudicar os ossos, o sistema imunológico, os rins e a alterar a quantidade de glóbulos vermelhos.

Nesse experimento, 33 dos 35 doentes tiveram uma remissão, isto é, deixaram de sentir sintomas da patologia, embora ainda não esteja confirmada a sua cura.

E essa remissão ocorreu somente 2 meses após terem iniciado um tratamento com células T, associadas ao sistema imunológico.

Logo, os pesquisadores extraíram as células T, que são as responsáveis pelo sistema imunológico, dos próprios pacientes, alteraram-nas num laboratório através de um receptor de antígeno quimérico e injetaram-nas de novo nos doentes de uma forma intravenosa.

É muito raro um procedimento contra o câncer ter tanto êxito

Os primeiros resultados surgiram logo nos 10 dias seguintes e a maior parte dos doentes sofre com efeitos colaterais leves.

Os profissionais enfatizam que, embora a quantidade de participantes seja reduzida, é extremamente raro que um procedimento contra o câncer tenha um êxito tão evidente.

Por essa razão os especialistas acreditem que as conclusões da pesquisa sejam um sinal de que o tratamento pode ser relevante para a remissão da doença.

Porém ainda serão efetuadas novas pesquisas para confirmar se o procedimento é realmente capaz de tratar definitivamente da doença.

Os dados da pesquisa foram publicados no Journal of Clinical Oncology.

Compartilhe essa matéria tão importante!

Fonte: oglobo.globo.com
Ajude seus amigos, compartilhe saúde!