Dado que os sintomas de infarto na mulher podem ser confundidos com outras doenças cotidianas, é imprescindível dar-lhes a devida atenção e, diante de qualquer dúvida, consultar um médico.

O infarto agudo do miocárdio é uma condição que ocorre por uma deficiência de fluxo sanguíneo em uma região do músculo cardíaco, quase sempre gerado de uma de suas artérias coronárias.

O bloqueio, a princípio, causa uma condição conhecida como angina de peito que, se não for tratada, pode provocar a morte do tecido cardíaco.

Seus sintomas comuns incluem uma dor opressiva no centro do peito, que pode irradiar a um ou ambos os braços, e algumas vezes até as costas.

No entanto, no caso das mulheres costumam surgir sinais atípicos que, por serem similares aos de outras doenças, tendem a passar despercebidos.

O problema é que poucas se informam a respeito e continuam pensando erroneamente que o mal-estar no peito é a única manifestação do infarto feminino.

Por esta razão, hoje queremos dedicar este artigo aos 7 sinais que devemos levar em conta por sua relação com esta condição.

Vale a pena ficar atenta!

Sintomas do infarto feminino

1. Insônia

A insônia e os contínuos transtornos do sono podem resultar de fatores como o excesso de trabalho, o estresse e o uso excessivo de dispositivos eletrônicos.

No entanto, na mulher, ela pode se manifestar por mudanças na atividade hormonal e etapas iniciais de doenças cardiovasculares.

Dos casos de infarto feminino analisados nas últimas décadas, mais da metade das mulheres afetadas apresentaram este sintoma.

2. Dificuldades respiratórias

As mulheres que experimentam tosse e sensação de falta de ar repentina sem estar passando por uma doença respiratória devem consultar um médico imediatamente.

O surgimento desta sintomatologia, especialmente ao fazer as atividades cotidianas, é comum entre aquelas que correm risco de sofrer um infarto do miocárdio.

3. Acidez e refluxo ácido

O excesso de produção de sucos ácidos no estômago, assim como o refluxo ácido, costumam provocar uma sensação de ardor na parte superior do abdômen e do peito, similar ao que acontece durante um infarto.

Embora nem todos os casos levem a esta grave doença, a verdade é que seu surgimento recorrente deve ser avaliado, pois pode ser um sinal inicial de um ataque cardíaco nas mulheres.

4. Cansaço incomum

A fadiga ou a sensação de cansaço costuma se relacionar com os problemas de sono, o uso de alguns medicamentos e o estresse.

No entanto, quando se converte em algo recorrente e sem razão aparente, poderia estar nos alertando a respeito de uma dificuldade circulatória e cardíaca.

A obstrução das artérias coronárias impede um fluxo sanguíneo correto desde o coração, o que dificulta o processo de oxigenação das células, o cérebro e os músculos.

Além disso, dado que o coração tem que trabalhar mais para bombear o sangue, aumentam a pressão arterial e o risco de infarto feminino.

5. Suor frio e enjoos

Suar frio durante as atividades cotidianas ou no período de descanso é um sinal inicial de infarto feminino.

Embora, assim como acontece com os outros sintomas, isso possa acontecer por muitos motivos, não custa nada considerar a hipótese de que tenha a ver com esta patologia.

Seu surgimento se deve aos esforços realizados pelo corpo para manter sua temperatura, dado que esta apresenta desequilíbrios pelo esforço exagerado que o músculo cardíaco está realizando.

Por sua vez, as dificuldades do fluxo sanguíneo retardam o processo de oxigenação celular, causando enjoos e mal-estar.

6. Ansiedade repentina

A ansiedade inexplicável é um sintoma ao qual devemos dar muita importância, sobretudo se for acompanhado de pontadas no peito ou sensação de vertigem.

Muitos dos casos de mulheres vítimas do infarto de miocárdio apresentaram este sintoma nas horas prévias ao ataque.

Por outro lado, é fundamental considerar que tanto a ansiedade quanto o estresse aumentam o risco de pressão alta e, portanto, de infarto.

7. Dor nos braços e no pescoço

As dores nas articulações, no pescoço e na mandíbula são comuns nas mulheres com problemas cardiovasculares, e comprometem de forma direta o músculo cardíaco.

São mais comuns nas mulheres do que nos homens, embora estes últimos também possam apresentá-las, ainda que em menor medida.

A manifestação da dor ocorre de forma gradual e repentina, e pode remitir um pouco antes de um ataque contundente.

Embora todos os sintomas mencionados possam surgir por inúmeros motivos,sempre é necessário fazer uma avaliação médica para descartar problemas graves ou complicações, como é o caso do infarto feminino.

Adotar hábitos de vida saudáveis e controlar o colesterol e a pressão é determinante para reduzir o risco de sofrer com esta doença.

Fonte: melhorcomsaude
Ajude seus amigos, compartilhe saúde!