Muitas pessoas nem ao menos sabem de todos os órgãos vitais que existem no corpo, já que esses não se vêm ou se sentem na nossa vida cotidiana. É muito triste, mas alguns de nós apenas reparamos neles quando começam a doer e causar problemas graves. De qualquer forma, é muito importante nos educarmos sobre o nosso corpo — isso nos dá a oportunidade de reconhecer um problema em sua etapa inicial e agir de maneira adequada.

O pâncreas, uma parte vital do sistema digestivo, é um desses órgãos “subestimados”. Ainda que produza enzimas importantes para a digestão e controle os níveis de glicose no nosso sangue, não o conhecemos tão bem como, por exemplo, ao estômago ou fígado. Nesse artigo vamos revelar fatos cruciais sobre esse órgão que você talvez nunca tenha escutado.

Seu pâncreas é uma glândula larga e plana (20 cm). Está localizada na cavidade abdominal atrás do estômago, que está estreitamente conectada com os condutos biliares e o duodeno (a parte inicial do intestino delgado). Como se mencionou anteriormente, tem duas funções vitais em nossos órgãos: a liberação de enzimas no duodeno e de hormônios no sangue.

Os problemas no pâncreas podem afetar muito teu estado de saúde e causar uma série de complicações. O problema mais comum no pâncreas é sua inflamação ou pancreatite. A inflamação pode ocorrer repentinamente (pancreatite aguda) ou de vez em quando (pancreatite crônica). Vamos dar uma olhada nessas duas condições:

Pancreatite aguda

Causas:

• Intoxicação (envenenamento) e abuso de álcool;
• Complicações posteriores a colelitíase e doenças cirúrgicas agudas da cavidade abdominal;
• Traumatismos, doenças virais e manipulação endoscópica.

Sintomas:

Um sintoma comum da pancreatite aguda é a dor no abdômen, geralmente na parte superior. Ela pode irradiar para as costas e ser agravada pela ingestão de alimentos. Um paciente com pancreatite aguda observa alívio parcial da dor quando o tronco se inclina para a frente. A dor pode ser acompanhada de náuseas e vômitos em 90% dos casos.

Ao contrário de cólica biliar, o que geralmente ocorre após as refeições e dura 6 a 8 horas, a dor da pancreatite aguda pode durar vários dias.

Pancreatite crônica

Causas:

• Abuso de álcool (beber durante muito tempo ou muito);
• Qualquer situação que possa fazer com que a pancreatite aguda volte

Sintomas:

Assim como acontece com a pancreatite aguda, o principal sintoma é a dor abdominal que normalmente ocorre após a ingestão e dura em média 30 minutos. No entanto, na pancreatite crônica, a dor persiste por vários dias.

A dor de pancreatite crônica é geralmente menos intensa do que na pancreatite aguda (até 20% dos pacientes relatam dor leve ou ausência de dor). No entanto, pode haver períodos de exacerbação da doença, especialmente se o paciente não procurar ajuda médica e / ou continuar a consumir álcool.

À medida que a doença avança, os tecidos do pâncreas são danificados e deixam de produzir mais enzimas digestivas. Sob tais condições, uma boa digestão dos alimentos não ocorre, e, eventualmente, o paciente perde peso. Quando mais do que 90% de tecido pancreático é danificado, o paciente perde completamente a capacidade de absorver gordura, causando “diarreia gorda (esteatorreia)” e gotículas de gordura começam a aparecer nas fezes.

O pâncreas perde gradualmente sua capacidade de produzir insulina e glucagon, e a pessoa desenvolve diabetes. Outras complicações de pancreatite crônica são formação de cistos em torno do pâncreas, obstrução (entupimento) do ducto biliar e ascite e aumento do risco de desenvolver câncer do pâncreas.

Se você tem um (ou mais) dos sintomas descritos neste artigo, consulte o seu médico imediatamente! Ele poderá salvar sua saúde… e até mesmo sua vida!

Fonte: perfeito.guru
Ajude seus amigos, compartilhe saúde!